Futuro do turismo é discutido em Seminário

Palestrantes explicaram como a tecnologia pode ser usada de forma inteligente e produtiva

Na sexta-feira, (8/12), cerca de 100 pessoas acompanharam atentamente as palestras do Seminário de Turismo, realizado ao longo da tarde, no Parque dos Sonhos. Novas tecnologias, cidades sustentáveis e o futuro do turismo foram os temas abordados.

Idealizado pelo COMTUR, Conselho Municipal de Turismo, este primeiro evento teve o objetivo de disseminar conhecimento a todos os participantes e levar o turismo para todos os cantos do país.

O Seminário começou com a presença do Davi Dias, executivo da IBM Brasil, que apresentou a tecnologia de inteligência artificial. Por meio do simpático jacaré – um CogniToy – Watson encantou o público presente e serviu para abrir o horizonte de pensamento. O brinquedo é capaz de interagir com crianças de até seis anos, de acordo com as perguntas feitas pelas crianças. Watson foi o nome dado a plataforma de inteligência artificial para negócios da IBM, que é capaz de interagir com o interlocutor oferecendo exatamente o que ele precisa, diferentemente das ferramentas tradicionais de busca na internet, que não conseguem distinguir detalhes da busca.

Ao falar sobre as novas tecnologias digitais, Dias mostrou a aplicação da inteligência artificial em vários segmentos, que pode ser desde brinquedos para crianças até contribuir em diagnósticos de doenças raras, passando pela área de atendimento em qualquer segmento e também para o turismo. Semelhante à tecnologia norte-americana, no Brasil já se encontra a Isabela, capaz de interagir e oferecer soluções totalmente em português.

Em seguida, Cássio Garlkans, do Instituto GKS, mostrou a aplicação das tecnologias e de também de ideias bem simples para tornar as cidades inteligentes. Na palestra sobre o tema "Negócio Sustentáveis”, ele falou sobre exemplos que envolvem ações simples, como reuso da água e ações de destinação de resíduos, e também do uso de tecnologias, como o próprio Watson. De acordo com Cássio é preciso olhar para a mudança da comunidade, que agora se baseia no uso de smartphones, redes sociais e ferramentas de busca para escolherem destino, compartilhar a experiência no restaurante ou postar as fotos da última viagem. Por meio desses conceitos, ele apresentou uma rede de ações para tornar as cidades inteligentes e ter um turismo sustentável. Para ele, a chave está na simplicidade para garantir resultado, mesmo diante de tanta evolução tecnológica.

Peter Kronstrom e Luiza Pastor, ambos do Instituto Copenhagen (CIFS, sigla em inglês) trouxeram o universo das macrotendências. O instituto é responsável por estudar a evolução da humanidade e fazer previsões em diversas áreas do conhecimento. Peter vê na natureza e nas atividades ao ar livre o grande motor do turismo, no mundo, especialmente no Brasil, que possui grande diversidade natural e cultural. Para o diretor do CIFS, o brasileiro aproveita mal o potencial que possui, tanto para passeio como para negócios. Ele acredita que as pessoas precisarão canalizar cada vez mais suas atenções para o meio natural, como válvula de escape da vida moderna.

Entre as previsões feitas pelo Instituto está o futuro da tecnologia. Luiza disse que em um futuro breve o ser humano deverá depender cada vez menos da conectividade e da energia elétrica como conhecemos hoje. "Atualmente ninguém faz nada sem um celular e precisa o tempo todo da senha do wifi ou da tomada para carregar o telefone. Logo a rede será como uma nuvem, que te acompanha o tempo todo”, previu a integrante do instituto.

O evento terminou com uma vivencia no Parque dos Sonhos, onde os participantes puderam fazer a tirolesa voadora e em seguida, participaram do happy hour de encerramento, animado pelo grupo de blues Bluzzeira de Responsa.

Compartilhe essa página

Deixe seu comentário